11 de novembro de 2016

#ECDF: Adaptações pouco conhecidas

Reprodução: Nathalie Martins
Olá leitores!
Hoje é sexta-feira e com ela vem a segunda parte do projeto Explorando Contos de Fadas, em parceria com a Nat do faNATic. Para continuarmos a nossa exploração nesse mundo fantástico e mágico que tanto adoramos, o post de hoje será para indicar duas adaptações de contos de fadas, que não são tão conhecidas assim, mas que são maravilhosas e merecem o reconhecimento. Não esqueçam de ao final desse post, visitarem o canal da Nathalie e conferirem as indicações dela, que também são ótimas!

Reprodução: Google
Na trama, passada em 1810, após o naufrágio de seu navio, um comerciante financeiramente arruinado exila-se no campo com seus seis filhos, três rapazes e três moças. Apenas a filha mais nova, Bela, uma menina alegre e cheia de graça, fica entusiasmada com a vida rural. Quando o pai arranca uma rosa para a filha de um jardim encantado, ele é condenado à morte pelo proprietário do castelo, um monstro. A destemida Bela oferece-se no lugar do pai, mas uma vez dentro do palácio, encontra não a morte, mas sim uma vida estranha, cheia de magia, luxo e tristeza. Todas as noites, sem exceção, Bela janta com a fera, e todas as noites ela é visitada por sonhos que retratam a triste história dela. O gigante começa a se sentir cada vez mais atraído pela bela jovem, que usa toda a sua coragem para chegar ao fundo da maldição que atormenta seu estranho admirador.
A Bela e a Fera (La Belle et la Bête) é um filme francês de 2014, dirigido por Christophe Gans. O elenco conta com a atriz maravilhosa Léa Seydoux no papel de Bela, o ator Vincent Cassel na pele da Fera, André Dussollier como o pai de Bela, e entre outras ótimas atuações.
Lembro de ter assistido ao filme no ano passado e ter ficado admirada com a beleza da fotografia. É um trabalho lindo que mistura magia com contos de fadas, e o resultado não poderia ser menos do que incrível. A trilha sonora encaixa-se perfeitamente as cenas e embeleza ainda mais o clímax da história. 
Para quem conhece a história da Bela e a Fera, seja através do conto (escrito pelos irmãos Grimm ou a versão mais macabra) ou da animação da Disney, eu indico que confira este filme e conheça mais uma versão do romance. Além de se encantar com as atuações, a música e a fotografia, a história também tem seus detalhes diferentes da original e isso faz com que a magia seja ainda maior e mais sentida. Sei que irão adorar!

Reprodução: Google
Quando a China é invadida, o imperador decreta que cada família ceda um homem para o exército imperial. Com isso, uma jovem fica angustiada ao ver seu velho e doente pai a ser convocado, por ser o único homem da família. Ele precisa ir, mesmo sabendo que certamente morrerá, para manter a honra da família. Assim, sua filha rouba sua armadura e espada, se disfarça de homem e se apresenta no lugar do seu pai, se alistando disfarçada em um exército só de homens.
Mulan Rise Of a Warrior é um filme baseado na história da personagem Hua Mulan, do poema The Ballad Of Mulan. Produzido pelo cinema chinês e dirigido por Jingle Ma, ao assistir esse filme você deve se desligar da animação feita pela Disney, pois o foco dessa história não é o romance, nem as risadas ou os amigos "mágicos" de Mulan, e sim a lealdade, a guerra e a reflexão.
Mulan é interpretada magnificamente pela atriz Wei Zhao, que dá vida a personagem de forma belíssima e fiel. Nesta história, Mulan passa 12 anos longe da família e lutando na gerra ao lado de seus aliados e companheiros, vivendo na maior discrição para não descobrirem sua verdadeira identidade. Haverá perdas, saudades e solidão. E acima de tudo, haverá a força e determinação de Mulan nos mostrando o quanto o girl power é importante e inspirador.
O filme é belo, tanto nos elementos de sua história quanto na forma visualmente que nos é dada. O final é destruidor e nos mostra a realidade da vida na sua forma mais crua, sem romantização. Vale a pena conferir! E ainda tem na Netflix.
E esse foi mais um post do projeto Explorando Contos de Fadas. Não esqueçam de conferir as indicações de adaptações da Nathalie e não se esqueçam que na próxima sexta terá a terceira parte do projeto. Espero que vocês estejam gostando tanto quanto nós estamos. Um beijo e até a próxima.

6 comentários

  1. Oii!
    Amei demais essas dicas. Vou procurar pra ver. :)
    Beijo

    Canastra Literária | Facebook | Twitter

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti esse da Bela e a Fera e eu achei ele lindíssimo também, mas eu achei algo muito estranho nele: parece que o filme não teve história. Eu não entendi sabe, tipo eu tava vendo e do nada ele acabou, como se faltasse TANTA COISA.
    Agora, o que eu estou CHOCADA é que tem live action de mulan e eu nunca vi. Eu sou desesperadamente apaixonada por Mulan, ela moldou completamente minha personalidade na infância, e agora eu descubro que tem filme e eu não vi?

    Caramba, e tem no netflix! JÁ SEI O QUE VOU ASSISTIR ENQUANTO JANTO HOJE!

    Muito obrigada pela indicação, não acredito que passei tanto tempo da minha vida sem saber da existência desse filme. T.T

    Beijos.
    www.jadeamorim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada. <3 Espero que você goste do filme, tanto quanto gosta da animação. Eu, particularmente, tenho a Mulan na lista de favoritas, tanto de "princesas" como de mulheres fortes, e a live action transmite toda a força da personagem no filme. É incrível!
      Assista, assista, assista! <3

      Excluir
  3. Léa Seydoux também está muito bem em Azul é a Cor Mais Quente :D
    Vim aqui por indicação do canal faNATic, muito legal esse projeto de vocês!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita. <3 Eu não gostei de Azul é a Cor Mais Quente, mas gosto muito da Léa, acho uma ótima atriz.

      Excluir