30 de agosto de 2016

Resenha: "Garota Exemplar" - Gillian Flynn


Reprodução: Google


Garota Exemplar
Autora: Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Minha classificação: ★★★★★ (5/5)
O que você faria se sua esposa tivesse desaparecido e todas as suspeitas do sumiço e suposto assassinato incriminassem você?

Nick Dunne é casado com Amy Elliott, a mulher que serviu de inspiração para os famosos livros infantis "Amy Exemplar". No dia em que completavam cinco anos de casamento, Amy desapareceu. Sua casa foi vasculhada, e a única coisa que ela deixou para trás foi uma porta escancarada e uma cena de luta em sua sala de estar.

"Como uma criança, eu me imagino abrindo o seu crânio, desenrolando seu cérebro e vasculhando-o, tentando capturar e entender seus pensamentos."

Nick e Amy se conheceram em uma festa em Nova York, quando ambos trabalhavam como escritores, ele como jornalista e ela criando testes para revistas adolescentes. O primeiro contato foi inesperado, mas intenso, já criando certas piadas internas que o casal usaria no futuro em suas conversas descoladas e românticas.
Se casaram alguns anos depois e construíram um lar em Nova York. Mas, as coisas começaram a mudar quando Nick foi despedido. Por mais que Amy trabalhasse e tivesse uma boa herança em sua poupança, ele não aceitava ter sido mandado embora de seu emprego, e então, acabou se sentindo perdido ali. Para deixar a situação ainda mais grave entre o casal, a mãe de Nick havia sido diagnosticada com câncer, e sua irmã gêmea Go (quem cuidava dela até então) precisava de ajuda em sua cidade natal. Não tendo mais interesse em continuar em Nova York e precisando voltar para Missouri para ajudar com os cuidados de sua mãe, Nick decidiu que era hora de mudarem para lá e viverem em alguma coisa tranquila perto do rio Mississipi. Quem sabe até constituir uma família na nova casa.
Tudo parecia estar tranquilo e indo bem. O casal, aparentemente, estava feliz. Nick, com o dinheiro de sua esposa, havia comprado um bar e dividia as responsabilidades do estabelecimento com a irmã. Amy, que não tinha conhecidos na cidade, passava a maior parte do tempo em casa, fazendo algo pessoal ou apenas assistindo televisão. Mesmo tendo se mudado há cinco anos para aquele lugar, ela ainda não se sentia totalmente íntima dali, seus amigos e sua família moravam em Nova York, e a única conexão que tinha com Missouri era seu marido. Afinal, era por ele que ela se encontrava ali, e somente isso ainda a segurava.
O dia especial chegou: era o aniversário de cinco anos de casamento. Como todos os outros dias, Nick levantou, comeu as panquecas que sua esposa havia preparado para ele e depois dirigiu até O'Bar, ficando lá até a parte da noite. Quando já estava escurecendo, recebeu um telefonema de seu vizinho, avisando que a porta da frente de sua casa estava aberta. Nick, despreocupado, seguiu para casa imaginando que aquele telefonema seria mais um dos outros tantos que recebia daquele mesmo vizinho. Porém, quando chegou em frente de sua casa, percebeu que a porta estava realmente aberta e que o gato de Amy estava do lado de fora. Foi então que ele percebeu que Amy havia sumido.
Ao decorrer da investigação em busca de Amy, os policiais encontram vestígios que sugerem um suposto homicídio. Este fato não deixou os policiais assustados, já que Amy tinha um passado com outros tipos de perseguidores e pessoas obcecadas por ela, porém, o que deixava o caso estranho era que todos os vestígios apontavam apenas para um suspeito: Nick, o marido que não se mostrava nenhum pouco triste ou preocupado com o desaparecimento da esposa amada.

O livro será narrado por ambos personagens e trará a visão em primeira pessoa. Nick irá narrar o presente, a partir do dia do sumiço da esposa, e também nos contará como era a relação entre o casal, sua visão sobre o desaparecimento e tentará provar que não é o culpado. Enquanto através do diário de Amy, iremos saber como foi passar todos aqueles dias ao lado do marido desde que se conheceram e as mudanças que ocorreram entre eles durante os anos, explicitando como realmente o marido é.

Além disso, o livro também será divido em três partes, na qual prefiro não revelar os nomes para não dar supostos spoilers (para quem não conhece ou não assistiu ao filme).

Minha opinião
Essa foi a resenha mais difícil que eu já escrevi! Não sabia em que parte da história focar ou quais detalhes revelar. Acredito que por ser uma obra de suspense e por ter tanto a ser revelado durante a história, qualquer detalhe solto pode ser um possível spoiler e acabar estragando a experiência de leitura. Por isso, quis fazer uma resenha que focasse mais na sinopse, só que com alguns detalhes a mais que despertassem a atenção e interesse de vocês.
Esse livro é daqueles que dividem opiniões: ou você adora ou você odeia. Eu adorei! Por mais que já conhecesse a história a fundo (pois, havia assistido ao filme antes, e por favor, não façam isso), eu ainda consegui me surpreender com a narração e o plot. A cada informação jogada na minha cara, eu apenas encarava o livro, xingava baixinho e continuava a leitura, claro, depois de armazenar com cuidado tudo aquilo que havia descoberto. Foi um livro que me fez pensar sobre a maldade humana e como alguém pode ser tão insanamente podre por dentro.
Por ser narrado em primeira pessoa, creio que isso fez eu me sentir mais próxima das personagens, principalmente de Amy, já que somos apresentados a ela através de seu diário, algo íntimo. Também me senti próxima do Nick, mas admito que muitas vezes eu só queria estapeá-lo. Por mais que ele corresse atrás de sua inocência e se colocasse como o mocinho, e eu até acreditasse nele na maior parte do tempo, há muitas coisas que me deixaram no limite com ele, e no final da leitura, acreditei que ele e Amy realmente se mereciam como um casal.
No geral, é um suspense que irá lhe surpreender e te deixar vidrado durante a leitura, não querendo parar por nenhum minuto. Cada capítulo termina de uma maneira que faz com que você queira ir para o próximo e assim por diante, acabando por se viciar nela. Apesar de suas 448 páginas, a leitura flui muito bem e até rápida, por causa da necessidade de saber o que irá acontecer a seguir. 
A escrita da Gillian Flynn é boa, mas admito que me assustei com alguns termos "pesados" usados por ela em alguns momentos. Não que sejam pesados para mim, mas porque eu não esperava essa característica em sua escrita. Porém, foi um susto positivo, me mostrou que a autora tem uma escrita "adulta", uma escrita bem elaborada e nada delicada. Ela consegue tocar em detalhes na forma mais crua e direta possível. Em alguns momentos e palavras, até me fez lembrar da escrita do querido Stephen King.
Quanto ao filme, eu só tenho a dizer que assisti antes da leitura e gostei, além de ter sido um dos motivos para me interessar em primeiro lugar pela obra. O elenco é maravilhoso, e na hora de ler só conseguia imaginar o Ben Affleck e a Rosamund Pike na minha cabeça. É uma adaptação que vale a pena conferir e apreciar.
Se você gosta de suspense, recomendo que invista nessa leitura e aprecie cada pedaço. Entre na cabeça de Amy e escolha se deve ou não acreditar na inocência de Nick.

2 comentários

  1. Fiquei com muita vontade de ler esse livro, amei essa resenha, e o seu blog e lindo.
    Eu também tenho um blog, se tiver um tempinho vai lá ver - http://blogsuperfemina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir