27 de maio de 2016

Dica de filme: Entre Abelhas

Foto retirada do Google
E se você parasse de enxergar as pessoas?
Não digo isso como uma metáfora, mas e se você realmente não conseguisse mais ver os outros? Não como uma cegueira onde você não veria ninguém e apenas enxergaria borrões, mas como se uma pessoa estivesse na sua frente e você não conseguisse vê-la ali.
Essa é a premissa de Entre Abelhas, um filme nacional que me surpreendeu muito. É dirigido pelo Ian SBF (um dos criadores do Porta dos Fundos) e estrelado por Fábio Porchat, Marcos Veras, Irene Ravache, Luis Lobianco, Giovana Lancelotti, entre outros.

Bruno está se divorciando, e pra comemorar essa etapa de sua vida ele vai com alguns amigos à uma boate de strip tease. Sem dar muita atenção às mulheres a sua volta, Bruno insiste em afirmar que o fim do seu casamento aconteceu porque ele não deu uma cadeira vermelha, uma igual aquelas que tinham ali na boate, para sua ex-esposa. Depois de quase arranjar uma briga por causa das tais cadeiras vermelhas, ele tira uma foto com seus amigos e uma das mulheres do local.
Depois dessa noite de bebedeira, Bruno acorda na casa da mãe (onde está ficando durante o divórcio) e continua vivendo sua vida normalmente. Vai ao trabalho, se encontra com sua ex-mulher para pegar alguns objetos seus e depois pega um táxi até a casa da mãe, porém, quando está dentro do táxi algo estranho acontece: o motorista some
Como isso pode ter acontecido? Como o carro continua andando se não tem ninguém ali dirigindo-o? E cadê o motorista que estava ali a minutos atrás?
A partir desse momento, que pareceu ser apenas um delírio momentâneo, mas que logo confirmou ser muito mais do que isso, Bruno percebe que não está vendo algumas pessoas. Na verdade, pessoas passam ao seu lado, esbarram em seu corpo, mas ele não as vê.
As pessoas vão sumindo aos poucos de sua vista: primeiro desconhecidos, depois os amigos. Bruno percebe que até em suas fotos as pessoas estão sumindo. E agora, como mudar essa situação?


Foto retirada do Google
O filme é muito bom! Vale a pena tirar um tempinho e assistir. É nacional, e tenho certeza que depois de assisti-lo você irá tirar da sua cabeça aquela ideia de "filme nacional só tem sexo e violência". Eu fui uma dessas pessoas, admito. É um drama misturado com pitadas de comédia. O final transmite uma mensagem, algo para pensar. Mas a mensagem vai de quem vê. Você interpreta como achar melhor.
Essa foi a dica de hoje, leitores. Gostaram? Já assistiram? Pretendem assistir? Me contem nos comentários, irei adorar conversar com vocês. Um beijo e até a próxima.

2 comentários

  1. UAAU adoro filmes assim kkkkk, isso me parece meio louco!
    Fiquei com vontade de ver e saber qual é essa mensagem.
    BEIJOOOS <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando tiver a oportunidade, dá uma conferida! Espero que goste tanto quanto eu, depois vem me dizer o que achou. <3

      Excluir