8 de janeiro de 2016

Resenha: "Amor de Perdição" - Camilo Castelo Branco


Foto tirada do google



Amor de Perdição 
Autor: Camilo Castelo Branco 
Editora: Martin Claret
Ano: 2013
Minha classificação: ★★★ (3/5)
Adicione no Skoob
O narrador começa a história nos mostrando um folheto que encontrou entre os livros no cartório. Nesse folheto é comunicado que um jovem de 18 anos chamado Simão Botelho, que estava preso, foi mandado para a Índia. É a partir desse folheto que iremos conhecer a história de Simão Botelho, desde sua criação até o momento de sua prisão. 
Simão era o segundo irmão mais velho em uma família de cinco filhos. Aos 15 anos foi estudar humanidades e lá fez amizades que lhe tornaram uma pessoa teimosa, de mau caráter, que se achava invencível e valente. Não aceitava desaforos e andava acompanhado de uma arma. Era o oposto de seu irmão mais velho e seus pais insistiam em sempre lembrá-lo disso. Um dia, quando estava passando as férias com sua família em Viseu, se meteu em confusão e agrediu alguns criados. Com isso, foi mandado para uma prisão, mas escapou para Coimbra antes de ser preso. 
Depois de algumas semanas foi pego e mandado para uma cela por falar mal de guerras, nobres e reis, por andar armado e por se gabar de suas brigas. Quando saiu, voltou para Viseu e mudou seu comportamento com uma rapidez inexplicável, deixando sua família surpresa e feliz. Sua mudança tinha um motivo: estava apaixonado. 
De sua janela, Simão trocava palavras e gestos com sua vizinha Teresa, por quem nutria um amor e muitos planos para um futuro juntos. Teresa de Albuquerque era mais nova que ele, morava com o pai e vinha de uma família que era rival da família de Simão, ou seja, eles nutriam um amor e um futuro impossível. 
Ao voltar para Coimbra, trocava cartas com Teresa, se esforçava em seus estudos e fazia promessas que se casariam. Porém, o pai de Teresa decidiu casa-la com seu primo Baltasar Coutinho. Recusando-se, ela recebeu ameaças de ser mandada para um convento caso não obedecesse. Seu pai tentou obrigá-la mais vezes, mas Teresa sempre se recusava e dizia preferir o convento ou a morte. Simão ao saber das ameaças e intrigas que estavam acontecendo, veio escondido até Viseu para vê-la e acabar com essa guerra.

Minha opinião
A obra pode parecer em alguns detalhes familiar, talvez porque lembre bastante a famosa história de amor entre Romeu e Julieta, e podemos até assimila-la assim. 
Amor de Perdição tem uma história envolvente, encantadora e angustiante. Ao ler você se encontra ao lado dos amantes Simão e Teresa torcendo para que fiquem logo juntos e para que vençam toda a guerra que há entre as famílias. Seu desejo é que consigam viver esse amor tão lindo e puro. O suspense que o autor nos envolve, sempre guardando o melhor para o final dos capítulos e deixando uma surpresa no ar, nos faz querer não parar de ler essa obra até chegar ao fim. 
Infelizmente, por ser uma obra portuguesa, a obra acaba tendo uma escrita de português de Portugal, o que prejudica a leitura (pelo menos a versão que eu li estava assim). Muitas vezes temos que parar de ler para procurar o significado de tais palavras e acabamos nos perdendo no texto e tendo que começar tudo novamente. Outras vezes conseguimos entender através do contexto, sem precisar parar e procurar, mas isso não acontece sempre já que são muitas palavras seguidas desconhecidas. 
Tirando esse detalhe, vale a pena dar uma chance a essa leitura e se aventurar no mundo do nosso narrador, aliás, em algumas partes temos as próprias cartas para desfrutarmos, o que resulta em algo sensacional, te mantendo mais perto dos personagens, mais íntimos. Uma aventura deliciosa que nos faz estar mais pertinho da literatura portuguesa e conhecê-la um pouco melhor. Pretendo aprimorar isso e ler mais obras portuguesas. E espero que eu tenha despertado em vocês leitores, nem que seja um pouco, vontade de conhecer melhor essa literatura.
Que mal fariam a Deus os nossos inocentes desejos? Por que não merecemos nós o que tanta gente tem?

4 comentários

  1. Ainda não tinha ouvido falar do livro, mas pareceu-me interessante após seu ler sua resenha.
    beijos,
    Arthur K.

    ResponderExcluir
  2. Já li o "A queda de um anjo" e achei muito bom, o amor de perdição é mais relativo ou se adora ou odeia, mas dizem que emociona qualquer um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse também é português? Isso é verdade, não tem como não se comover ao menos um pouco com a história.

      Excluir