3 de setembro de 2015

Cursando Letras: Documentário "Pro dia nascer feliz"


Na terça-feira dessa semana, meu professor de Práticas Pedagógicas passou este documentário para a minha turma. Alguns alunos foram embora desanimados e pensando até em mudar de curso, enquanto outros (a maioria) só tiveram o pensamento reafirmado de que querem mesmo seguir a carreira de professor. Se você, assim como eles, quer ser um educador, você precisa assistir este filme.
O documentário "Pro dia nascer feliz" conta a história de estudantes, tanto de escolas públicas quanto de particulares, e também a de professores e da própria escola. Os alunos relatam suas dificuldades, seus planos para o futuro, sua vida. São casos diferentes, que nos fazem abrir os olhos para a educação no Brasil.
Podemos ver as dificuldades de escolas do interior, onde um quadro e um giz é tudo que eles têm. E que muitas vezes, a necessidade é predominante, como falta de água e de transporte. Isso é relatado por uma estudante do interior, que em uma semana, só consegue assistir aula em dois dias por falta de ônibus, além da escola ficar a mais de 30 quilômetros de sua casa.
Somos apresentados a violência, que muitas vezes, fechamos os olhos e deixamos passar sem ser vista. Adolescentes que brigaram, ou até mataram, simplesmente por não gostar de outro aluno ou que começaram por trocas de fofocas. Alunos falando coisas absurdas e maldosas de professores, que estão ali apenas tentando manter a paz em sala de aula. E o que se torna mais chocante, é ver que esses alunos, fazem tudo isso por prazer e com prazer. Como se a violência fosse a sua unica amiga ou o único sentimento conhecido por eles. Tudo e qualquer atitude alheia, se torna motivo para atitudes agressivas.
Presenciamos alunos de escolas particulares, que não conhecem e não se importam em conhecer, pessoas que tem menos do que eles. Ouvimos esses alunos contarem como vivem em sua bolha, como só sua vida é importante. Vemos que a importância para esses alunos são coisas banais, como aula de natação ou balé, e é só isso que importa. Enquanto para alunos mais pobres, de escolas públicas, muitas vezes a necessidade que procuram na escola e no professor é um ato de carinho, algo que não conseguem ter em casa.
Professores em seu conselho de classe, que são forçados a darem nota alta a alunos que não conseguem nem chegar à 2 pontos em sua média. Como vão arrastando esses alunos durante anos, porque não conseguem ter uma atitude de melhoria com esses alunos. Alunos que vão passando de série sem terem nenhum conhecimento ou estudo.
É importante que todo professor de licenciatura assista esse documentário para saber como a educação no Brasil está sendo abalada. Não importa de qual ano seja, ou em que ano você esteja assistindo, sempre passará uma mensagem verdadeira da educação. Precisamos assisti-lo e em nossa didática, aplicarmos uma maneira de mudar essa situação. Pra melhor, é claro. Incentivando os alunos, mostrando o nosso valor e o da nossa participação em sua vida. É preciso abrir os olhos e enxergar as dificuldades, assim superando-as. Todos juntos. Atrás de um único objetivo: uma educação melhor.

Nenhum comentário

Postar um comentário